Você sabe quando e por que deve trocar seus eletrodomésticos?

Muitas vezes ouvimos de nossas tias e avós que “no tempo delas, as coisas duravam mais”. E essa frase quase sempre vem acompanhada de um exemplo de alguns eletrodomésticos que as acompanham há décadas. A afirmação não está totalmente equivocada.

De fato, muitos aparelhos antigos são “mais fortes” e resistem ao tempo melhor em relação aos novos. No entanto, mantê-los funcionando no dia a dia nem sempre é uma escolha correta, tanto pela segurança – pois muitos desses equipamentos apresentam risco de choque e até de curto-circuito – quanto pela economia, já que a eficiência energética deles é inferior à dos eletrodomésticos mais modernos.

Assim, o que pode parecer um comportamento consumista – a troca de equipamentos que ainda estão funcionando por outros mais novos – é, na verdade, uma atitude sustentável que trará benefícios ao meio ambiente e ao seu bolso.

 

SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA É A GARANTIA DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DOS EQUIPAMENTOS

No Brasil, aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos (entre outros equipamentos) podem ser certificados com o Selo Procel de Economia de Energia, o que garante que passaram por inúmeros testes e tiveram seu uso residencial ou comercial liberado. O Selo Procel também classifica os produtos quanto à eficiência energética – numa escala que vai de A (mais eficiente) a G (menos eficiente).

Além da classificação da eficiência energética, por letras, os eletrodomésticos devem apresentar algumas informações obrigatórias, segundo o PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem), do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), como modelo/ tensão (em Volt), e consumo de energia (kWh/ mês) – este é especialmente importante em aparelhos que permanecem constantemente ligados, como geladeiras e freezers.

 

QUANDO TROCAR OS ELETRODOMÉSTICOS?

O professor de administração da FGV, César Caselani, em entrevista à Folha de S. Paulo, deu uma dica simples para quem está pensando se deve ou não trocar seus equipamentos: a vida útil do equipamento é, em média, de dez anos. Se você precisar consertar esse produto, o custo dessa reforma não pode ser maior que 10% do valor de um novo. Ou seja, se um modelo similar (novo) ao da sua geladeira custa R$ 2.000, o valor do conserto da geladeira usada não pode ser superior a R$ 200.

Você deve prestar atenção em alguns sinais que podem representar risco para quem utiliza os aparelhos, tais como: tinta descascada, fios arrebentados, manchas escuras em partes metálicas, superaquecimento, barulhos estranhos, deformações e estofamentos etc.

 

CELESC OFERECE BÔNUS PARA QUEM SUBSTITUIR ELETRODOMÉSTICOS ANTIGOS POR NOVOS

Se o seu eletrodoméstico não tem o Selo Procel, essa já é uma razão para substituí-lo por um que consuma menos energia. Essa troca representa economia nas próximas contas de luz. Pensando em facilitar esse processo, a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) oferece para os catarinenses o Bônus Eficiente Linha Eletrodomésticos, programa em como objetivo reduzir o consumo de energia elétrica nas casas catarinenses, gerando economia não somente para os consumidores, mas também de recursos para o Estado.

Por isso a empresa concede subsídio de 50% para a compra de geladeiras, condicionadores de ar e freezers que tenham mais de cinco anos de uso e não tenham o Selo Procel. Os clientes que desejarem adquirir um aparelho novo devem procurar as lojas cadastradas para realizar a compra. A própria Celesc se responsabiliza pelo recolhimento do aparelho antigo, que será encaminhado para a manufatura reversa, com destinação final adequada de cada componente, seja para reciclagem, reaproveitamento ou descarte, conforme assegura Mário César Machado Junior, gerente de projetos da Celesc.

 

FAÇA O DESCARTE CORRETO DE ELETRODOMÉSTICOS

Aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, celulares e computadores não podem ser descartados no lixo comum nem postos para reciclagem junto com outros resíduos, pois os componentes podem poluir o solo e o lençol freático e até causar acidentes ambientais.

Verifique a política de recolhimento de aparelhos eletrônicos ou eletrodomésticos de seu município. Muitas cidades contam com um sistema próprio de recolhimento e descarte, encaminhando o material para cooperativas de reciclagem, em outros lugares, as próprias empresas de reciclagem recolhem esses equipamentos. Em São José (SC), é possível solicitar o recolhimento de eletrodomésticos descartados à Secretaria de Infraestrutura, por meio do telefone 48 3281-6748.

 

Ultra Violet, a cor do ano, pode entrar na sua decoração

A cor do ano de acordo com a Pantone, considerada a maior autoridade do mundo em cores, é o Ultra Violet. O tom é o símbolo e a inspiração para a moda para o ano de 2018.

O Ultra Violet é descrito como um lilás “provocativo e, simultaneamente, atencioso”. Para a Pantone, a cor tem uma relação com o cosmos e instiga um pensamento visionário que indica o futuro. Muitas pessoas acreditam que o tom violeta tenha relação com a espiritualidade, com o sucesso intelectual e com energia.

E para quem está pensando em decorar a casa neste Ano-Novo, que tal apostar na cor para se inspirar? Aqui estão algumas dicas para levar um pouco da Pantone para dentro de casa. Vale lembrar que a cor combina muito com branco e com itens de madeira.

 

Cor Pantone do ano para a decoração

cor do ano

A cor Pantone que representa 2018 é um roxo intenso, resultante do púrpura com azul escuro, que, segundo Leatrice Eisenman, diretora-executiva do Pantone Color Institute, traz criatividade e inspiração. O Ultra Violet (Pantone 18-3838) “evoca a exploração de novas tecnologias e das grandes galáxias, com a sua expressão artística e reflexões espirituais”. O Instituto se baseou em ícones da contracultura, como Prince, David Bowie e Jimi Hendrix para desenvolver esse roxo complexo e enigmático.

Na decoração de sua casa, o Ultra Violet harmoniza com tons de verde claro, cinza, roxa, lilás, lavanda, turquesa, azul escuro, branco e bege. Deixe sua casa na moda com estas dicas!

 

cor do ano

cor do ano

cor do ano

cor do ano

Quem busca apenas um toque do Ultra Violet pode apostar na beleza e das flores, como violeta, hortênsia e orquídea.

 

 

As férias de verão são mais divertidas para quem mora em um condomínio com estrutura de clube

Poder aproveitar as férias de verão e todas as suas delícias com tranquilidade e segurança. Sem ter que se preocupar com trânsito, clubes lotados e outras situações desagradáveis. Esta é uma realidade para quem vive em um condomínio com estrutura de clube.

Com piscina, brinquedoteca, salão de festas e churrasqueira, basta um pouco de disposição para garantir momentos divertidos para crianças e adultos.

 

COMEMORE AS FÉRIAS DE VERÃO COM UM CHURRASCO

Alguns condomínios, como o Villa de Areias, da OK Construções, oferecem churrasqueiras em charmosos gazebos ou quiosques, que trazem um ar de casa de praia para a cidade. Eles são ideais para reunir amigos e familiares em um churrasco.

 

Aliás, a churrasqueira não precisa ser usada somente para assar carnes, linguiças e o tradicional pão com alho. Você pode surpreender a todos e preparar receitas inusitadas, como lagosta ou aspargos.

 

NÃO PERCA O FOCO E FIQUE EM FORMA

Com uma academia dentro do condomínio, você não tem mais desculpas para não fazer exercícios físico. Os dias quentes aumentam a vontade de se movimentar, por isso, aproveite as férias de verão e a estrutura do espaço fitness para ter um hábito saudável.

Não se esqueça de conversar com um médico e/ou educador físico e de se manter hidratado durante as atividades!

 

REFRESQUE-SE!

Ter uma piscina à sua disposição sem precisar se preocupar com a limpeza e a manutenção, que são obrigações do condomínio, é um privilégio.

Diferente de um clube com piscinas que recebem um grande número de banhistas por dia e os protocolos de limpeza nem sempre são conhecidos, em um condomínio, a limpeza é de conhecimento de todos os moradores. Por essa razão, a qualidade da água é mais confiável. Além disso, o local é excelente para encontros e confraternizações entre vizinhos durante as férias de verão.

Como em qualquer área comum do condomínio, ao utilizar a piscina, é preciso observar algumas regras de convivência e segurança.

 

BRINQUE!

Aproveite os dias de férias para passar mais tempo com seus filhos. Permita-se brincar e se divertir como uma criança. Para isso, você pode aproveitar a estrutura da brinquedoteca e também inventar atividades que vão garantir horas de muita alegria.

férias de verão

TEATRO

Pode ser de fantoche ou com as crianças interpretando os personagens. Explique para os pequenos como funciona uma peça de teatro, separem um texto – que pode ser uma história conhecida ou inventada por eles – encontrem o figurino ou criem roupas e acessórios. Depois é só agendar um horário para exibição.

Essa atividade pode ser feita com várias crianças do condomínio e a peça apresentada em alguma área comum, tendo os moradores como plateia.

 

BOLICHE DE PET

Garrafas PET podem ser pintadas pelas crianças. Encha elas com um pouco de areia, arroz ou qualquer coisa que sirva para deixar as garrafas um pouco mais pesadas. Disponham as garrafas como pinos de um jogo de boliche e brinquem tentando derrubá-las.

 

MÍMICA

Escolham um tema – que pode ser filmes, profissões ou o que a imaginação mandar – e façam times para tentar adivinhar o que significa a mímica dos integrantes da equipe oposta.

 

BRINCADEIRAS CLÁSSICAS

Muitas crianças nascidas na era da tecnologia desconhecem as brincadeiras que divertiam os adultos quando pequenos. Apresente para seus filhos durante as férias de verão as cantigas de roda, o pula corda, os trava-línguas, o pega-pega, o passa anel, a amarelinha. Essas e outras brincadeiras faziam a alegria da criançada antes dos tablets e smartphones.

 

férias de verão

Como preparar a casa para o Natal? Veja dicas de decoração, como receber amigos para confraternizar e curiosidades sobre essa data tão esperada

É difícil falar de Natal sem cair nos clichês de que é tempo de pensar em tudo que viveu, de aprender com os erros, de perdoar, pedir perdão e tomar decisões para o ano que virá. Também é o momento de levar o clima da data para a decoração de casa, dos tradicionais pinheiros e árvores iluminadas aos objetos inusitados e criativos. O importante é aproveitar a magia desses dias para ficar perto de quem se ama.

 

Além de dicas de como decorar sua casa para o Natal – com curiosidades e um pouco de história –, preparamos receitas deliciosas de comidas e drinks para receber familiares e amigos que sempre aparecem nessa época do ano.

 

Boa leitura!

 

DICAS OK CONSTRUÇÕES PARA DECORAR A CASA PARA O NATAL

Pinheiro

Ao lado do Papai Noel, a árvore de Natal é dos maiores símbolos dessa data. Você pode optar por uma natural ou artificial. Cada uma tem características próprias, vantagens e desvantagens, que devem ser consideradas na hora da escolha.

Naturais

Vantagens

– É sustentável (biodegradável e pode ser replantada)

– Libera oxigênio, melhorando a qualidade do ar

– Deixa um aroma fresco no ambiente

– Sair para escolher o pinheiro pode se tornar uma tradição da família

 

Desvantagens

– Os galhos e folhas podem cair e fazer sujeira

– O transporte e a instalação podem ser complicados

– Pode provocar alergias nas pessoas e ser nociva aos animais de estimação

– O lugar onde será replantada deve ser analisado, pois a árvore não é nativa e pode ser uma ameaça a outras espécies

– É preciso comprar uma nova todos os anos

 

Artificiais

Vantagens

– É possível encontrar em diversos modelos, tamanhos e até cores

– São leves

– Não precisam ser podadas nem regadas

– Muitas têm tratamento anti-incêndio

– São duráveis e podem ser reutilizadas

 

Desvantagens

– Não são recicláveis nem biodegradáveis

– Algumas têm aspecto muito artificial

– Não são perfumadas

 

Como o pinheiro começou a ser utilizado nessa época?

Acredita-se que o pinheiro passou a ser utilizado como “árvore de Natal” no século 16, na região da Alsácia (entre França, Alemanha e Suíça), por florescer próximo ao dia 25 de dezembro, representando assim o nascimento de Jesus Cristo. Rapidamente, o hábito de enfeitar pinheiros se espalhou por toda a Europa e, da Grã-Bretanha, chegou à América pelos Estados Unidos. Hoje até em países asiáticos – de maioria não cristã –, como na China e no Japão, é possível encontrar pinheirinhos enfeitados.

As bolas coloridas que enfeitam atualmente as árvores de Natal eram, originalmente, frutas, símbolos de fartura. Hoje elas representam os desejos comuns aos humanos, como amor, perdão e esperança. A estrela colocada na ponta dos pinheiros representa a Estrela de Belém, que guiou os três Reis Magos até o estábulo onde nasceu Jesus Cristo.

 

Guirlandas

Antigamente eram feitas exclusivamente de ciprestes, ramos de pinheiro e frutas, elementos que representam o nascimento de Cristo. Para os romanos, as guirlandas traziam sorte para a família.

Seu formato representa um ciclo sem começo nem fim, harmônico e perfeito. Os ramos e galhos são símbolos de renascimento e de esperança, pois brotam com a chuva. As guirlandas ganharam cores, fitas, bolas de vidro e brilho, mas não devemos nunca perder de vista o que elas significam.

 

Luzes e pisca-piscas

decoração de Natal

Antes de existirem as luzinhas, era comum o uso de velas para dar brilho às noites do advento até a noite de Natal. O fogo ainda servia para esquentar, já que em dezembro é inverno no Hemisfério Norte. As luzes foram criadas como uma estratégia de marketing em uma propaganda para incrementar a venda de lâmpadas incandescentes ao final dos anos 1880.

A infinidade de modelos, cores e formatos disponíveis no mercado permitem cobrir fachadas inteiras, iluminar objetos de diferentes formatos e fazem muito sucesso nas varandas dos apartamentos.

Você pode aproveitar a sacada como uma extensão da decoração usando os pisca-piscas e outros enfeites.

 

Papai Noel e outras tradições

decoração de Natal

Depois de Jesus Cristo, o Papai Noel é a figura mais querida do Natal. E você pode encher a casa com bonecos sem medo, afinal, só temos um mês para aproveitar a companhia do Bom Velhinho.

Além dele, bonecos de neve, renas, anjos e os personagens de “O quebra-nozes” (soldadinhos, ratinhos, doces etc.) dão um colorido especial à decoração deste período.

 

RECEBENDO FAMILIARES E AMIGOS PARA CONFRATERNIZAR

Com a casa pronta e decorada para esperar pelo Natal, é hora de pensar no cardápio para receber os amigos. Escolhemos duas receitas simples e deliciosas de aperitivos e um drink tradicional que vai fazer sucesso entre seus convidados.

decoração de Natal

decoração de Natal

Evite incômodos! Conheça as regras para uso de piscina em condomínio

Dando continuidade à conversa sobre regulamentos para um bom convívio entre vizinhos e funcionários em condomínio, hoje vamos falar sobre regras para uso de piscina. Das áreas comuns de um condomínio, a piscina é onde ocorrem mais problemas de convívio, e essas questões se intensificam com a chegada do verão.

[Leia mais sobre Direitos e Deveres dos Condôminos – Parte I e Parte II.]

Há diversos documentos que regem o convívio em condomínios, tais como artigos do Código Civil Brasileiro (Lei nº 10.406/2002), a convenção – que tem valor legal –, e o regimento interno, o qual tem a função de regulamentar a convivência entre vizinhos. Esse regimento interno é debatido e aprovado em assembleia de moradores, e o descumprimento às suas normas é passível de advertência e/ou multa. As regras a respeito do uso da piscina devem constar no regimento interno.

REGRAS COMUNS PARA O USO DE PISCINA EM CONDOMÍNIO

Como já foi dito, o uso da piscina, como das demais áreas comuns, deve ser regulamentado pelo regimento interno (aprovado em assembleia por no mínimo 2/3 dos condôminos). Alguns itens, porém, são básicos e devem não somente estar presentes no regimento interno como é importante que sejam hábitos de convívio e de comportamento individuais.

Onde é permitido circular com trajes de banho?

Esse é um exemplo em que o bom senso deve estar acima de qualquer regra. O ideal é que se evite andar em trajes de banho (e sem vestimenta superior) em qualquer área que não seja o entorno da piscina, a fim de evitar possíveis constrangimentos.

 

Visitantes podem frequentar a piscina?

Por questões de higiene e saúde, o uso da piscina deve ser restrito a um número restrito de pessoas. Na maioria dos condomínios, a piscina não comporta nem todos os moradores, por essa razão, o mais comum é que não seja permitida a entrada de visitantes na piscina; em alguns, é possível levar apenas hóspedes e há, ainda, os que permitem um determinado número de visitantes por apartamento.

 

Sobre a segurança e a limpeza da piscina:

São de responsabilidade do condomínio, que, através da figura do síndico ou da empresa responsável pela administração, deve garantir dispositivo antissucção, manutenção e limpeza para assegurar a qualidade da água e placa indicativa de profundidade. Acidentes e problemas decorrentes de negligência do condomínio podem fazer com que o síndico seja imputado criminalmente.

O regulamento de uso da piscina deve ser fixado na própria área dela e em outros lugares estratégicos, além de ter uma cópia entregue a cada novo morador, e deve constar itens básicos, como:

 

Horário de funcionamento:

Que deve respeitar o horário de silêncio, pois piscina costuma ser um lugar de brincadeiras e barulhos e seu uso após às 22 horas pode causar incômodo aos demais moradores.

 

Horário de limpeza e manutenção:

Normalmente, a piscina fica fechada para o uso durante um período em um ou mais dias, dependendo da demanda.

 

Uso obrigatório da ducha:

É importante ressaltar que o uso da ducha antes de entrar na piscina, além de higiênico, preserva o filtro da piscina.

 

Uso de protetor solar e bronzeador:

Esses produtos causam muitos problemas ao filtro, deixam as bordas engorduradas e comprometem a qualidade da água, por isso, é justo que se peça para que os banhistas retirem esses produtos da pele antes de entrar na piscina.

 

Permanência de crianças:

A idade mínima para uso da piscina por crianças desacompanhadas deve ser respeitada. Bebês e crianças que ainda não controlam suas necessidades fisiológicas devem usar fralda específica para água. Os pais são os únicos responsáveis por seus filhos.

 

Animais de estimação:

A circulação de pets na área da piscina normalmente não é permitida, pois mesmo animais saudáveis podem vir a transmitir doenças.

 

Consumo de comidas e bebidas:

O consumo de alimentos e bebidas na piscina tende a ser proibido, principalmente em recipientes de vidro, que são potencialmente perigosos caso quebrem.

 

É importante ressaltar que as regras devem ser consideradas, mas, principalmente, que deve haver bom senso e respeito ao próximo para que o convívio na piscina do condomínio seja sadio e que todos possam aproveitar bons momentos nos dias de calor.

Comprei meu primeiro apartamento, e agora?

Você, enfim, comprou seu primeiro apartamento e não vê a hora de se mudar, mas não sabe como realizar os procedimentos necessários antes de, enfim, poder chamar o imóvel de lar.

Preparamos algumas dicas, como um rápido manual com tudo que você precisa saber antes de se mudar, da compra à decoração do apartamento.

COMO FINANCIAR MEU PRIMEIRO APARTAMENTO?

São muitas as modalidades de financiamento disponíveis pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e cada banco, financiadora ou construtora/ incorporadora pode oferecer – dentro de regras pré-estabelecidas – facilidades e descontos que achar pertinente.

Na OK Construções, o financiamento direto proporciona vantagens, como mais agilidade e menos exigências, pagamento facilitado e juros mais competitivos, além de toda a segurança de uma empresa sólida, tudo isso levando em consideração as necessidades de cada cliente, assim, é possível negociar a entrada e as parcelas, tornando o pagamento mais flexível.

REGISTRO DO IMÓVEL

Tanto o registro de compra e venda quanto a transferência do apartamento devem ser realizados no Cartório de Registro de Imóvel do município onde o imóvel está localizado. Basicamente, os trâmites e documentos solicitados são os mesmos em quase todos os cartórios, no entanto, algumas leis municipais podem fazer com que exijam taxas, assinaturas e número de cópias diferentes, por isso, informe-se antes de dar entrada, a fim de evitar desperdício de tempo e de dinheiro,

Imóveis de São José, Santa Catarina, são registrados no Registro de Imóveis de São José, localizado à Rua Leoberto Leal, 389, Barreiros.

LIGAÇÃO DE LUZ E DE ÁGUA

Para tornar o imóvel habitável, após o recebimento das chaves, é preciso solicitar a ligação de energia elétrica e de água.

Luz

Nas cidades catarinenses, o pedido de nova ligação de energia elétrica deve ser feita em uma unidade física da Celesc ou via e-mail. Para realizar essa solicitação, é preciso que as entradas estejam de acordo com o padrão da Celesc; deve-se informar o tipo de ligação do imóvel; declarar a carga aproximada (pontos de lâmpadas, tomadas e aparelhos que serão ligados à rede de energia); imprimir, preencher e assinar a solicitação de nova ligação e a declaração de carga.

Água

Assim como a luz, o pedido de ligação de água e esgoto deve ser feito diretamente na concessionária responsável pelo abastecimento no município onde está localizado o imóvel. Em Florianópolis e São José (SC), esse pedido deve ser feito no Atendimento Presencial da Casan – Rua Emílio Blum, 83, Centro, Florianópolis – ou em algum posto de atendimento mais próximo ao imóvel.

Para formalizar a solicitação, é preciso que as ligações de água e esgoto estejam de acordo com as normas técnicas da Casan, além de apresentar uma série de documentos pessoais (RG, CPF do proprietário); documentos do imóvel (escritura pública ou contrato de compra e venda, entre outros); e comprovante de regularização do imóvel na prefeitura (alvará de construção ou IPTU).

COMO DECORAR MEU PRIMEIRO APARTAMENTO?

Não há receita para se decorar um apartamento. O ideal é que o lugar tenha a cara de seus moradores e seja confortável e funcional, pois, no dia a dia, somente a beleza dos ambientes não será suficiente. Você pode optar pela contratação de um arquiteto ou decorador, mas nada impede que você tenha o apartamento que sempre sonhou sem a necessidade do serviço de profissionais.

Para conseguir unir praticidade, conforto e beleza, opte por móveis clássicos e de linhas retas e tons claros ou neutros, deixe para ousar nos pontos de luz e cor nos objetos decorativos, como almofadas, mantas e tapetes, que podem ser facilmente trocados; escolha tecidos que sejam ao mesmo tempo suaves ao toque e de fácil manutenção; considere o tamanho de cada ambiente antes de escolher os móveis; não obstrua os pontos de luz e de circulação de ar; considere o espaço necessário para a locomoção em cada ambiente, principalmente quando houver crianças ou idosos em casa; enfim, considere as atividades realizadas nos ambientes e quem circulará por eles cotidianamente, e confie no seu bom gosto!

 

Não passe calor! Veja nossas dicas para escolher o ar-condicionado ideal para cada ambiente

Faltam 77 dias para o verão e para que você não passe calor dentro de casa nem entre numa fria, preparamos algumas dicas para facilitar sua vida na hora de escolher um ar-condicionado e evitar incômodos com a instalação e a conta de luz.

 

ANTES DE ESCOLHER, CONHEÇA OS DIFERENTES TIPOS DE AR-CONDICIONADO E VEJA QUAL QUE ADEQUA MELHOR ÀS SUAS NECESSIDADES

Listamos abaixo alguns modelos mais vendidos para você escolher o ideal para cada ambiente.
Split: Os splits são silenciosos, bonitos, discretos e muito eficientes, por isso ficaram populares rapidamente. Podem ser instalados em redes (bisplit, trisplit…). O aumento da procura pelos splits fez com que novos modelos fossem fabricados e os preços caíssem.
Split piso-teto: Tem o funcionamento similar a um split comum, porém, geralmente, com potência maior, sendo ideal para ambientes com bastante circulação de pessoas e/ou residências com pé-direito alto.
De janela: De simples manutenção e instalação fácil e barata, é ideal para locais em que, por algum motivo estético ou técnico, não se pode instalar split. Possui preço mais acessível que o Split, e tem como contra o fato de ser um pouco mais barulhento, embora nos modelos mais modernos esse problema não existe.
Portátil: Perfeito para lugares pequenos e para quem precisa levar aparelho para diversos ambientes. O maior contra desses modelos é que apresentam baixa potência.

ar-condicionado

 

ESCOLHIDO O MODELO, CALCULE A POTÊNCIA DO AR-CONDICIONADO

Você já deve ter percebido que a potência dos aparelhos de ar-condicionado é dada em BTUs (Unidade Térmica Britânica). Para calcular quantos BTUs é preciso considerar a área total do ambiente, o número de pessoas que o local costuma receber e quantos eletrodomésticos existem nesse ambiente, além de outros fatores externos, como a incidência solar direta. Você pode realizar esse cálculo aqui.ar-condicionado

Antes de realizar a compra, confira a classificação de consumo de energia no Selo Procel e dê preferência para os modelos classificados como A, que garante a eficiência do produto. Não se esqueça de verificar a voltagem do aparelho antes de ligá-lo na tomada e não ligue outros eletrodomésticos na tomada do ar-condicionado.

 

INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO

Seja qual for o modelo escolhido, a instalação deve ser feita por um profissional de confiança, pois falhas nesse procedimento podem queimar peças e danificar o aparelho. O profissional deve, ainda, recomendar o local ideal para a instalação, de acordo com a disposição de tomada, a quantidade de materiais – como canos e cabos – utilizados, e o local ideal em que o aparelho deve ser colocado.
A manutenção anual dos aparelhos deve ser feita por um técnico, mas a limpeza quinzenal é recomendada para evitar acúmulo de fungos e bactérias que podem ser nocivos à saúde humana; para aumentar a vida útil do aparelho, evitando corrosão e ferrugem; e também para gerar economia, pois um ar-condicionado desregulado consome mais energia.

 

OUTRAS DICAS

Quando o ar-condicionado estiver em uso, lembre-se de:
– Fechar portas e janelas;
– Fechar as cortinas, que formam uma barreira física contra o calor e a radiação solar;
– Jamais fechar as entradas e saídas de ar do aparelho;
– Desligar o aparelho quando se ausentar do ambiente por mais de duas horas.

 

Evite problemas na hora de instalar

Quem mora em condomínio sabe que existem regras definidas pelo regulamento interno em relação às obras e reformas, entre elas, a instalação de ar-condicionado. Evite transtornos e confira quais são as orientações para esse tipo de melhoria em seu apartamento. Confirme em quais as paredes é possível fazer a instalação e o lugar ideal para colocação da máquina, que em muitos prédios possui localização específica. Com isso você garante o conforto térmico da família e não cria conflito com os demais condôminos.

 

 

Conheça os direitos e deveres dos condôminos – Parte II

Dando continuidade ao post publicado em julho, trataremos de outros direitos e deveres que causam muitas dúvidas aos condôminos, síndicos e administradoras de condomínio. As dúvidas se dão, na maior parte das vezes, pois são muitos os documentos – convenções, regimentos internos e artigos do Código Civil Brasileiro – que regem as condutas dentro de um condomínio e os direitos e deveres de seus moradores.

direitos e deveres dos condôminos

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE DIREITOS E DEVERES DOS CONDÔMINOS

Alugar ou vender garagem do imóvel

A negociação deve ser realizada de acordo com a Lei nº 12.607/2012 e só pode ser realizada entre moradores do mesmo condomínio, não sendo, portanto, permitido locar ou vender garagem para não condôminos (salvo se constar expressamente na Convenção do Condomínio).

 

Obras no condomínio, quem paga?

Ao inquilino, cabe pagar despesas ordinárias do condomínio, como folhas de pagamentos e despesas de manutenção ou conservação (como limpezas de caixa d’água, pequenas reposições de peças quebradas, pequenos consertos etc.). Despesas como fundo de obras e reformas cabem ao proprietário.

 

Atrasar pagamento do condomínio ou outras taxas

Inadimplência é um problema bastante comum nos condomínios que pode causar transtornos como atraso de pagamento dos funcionários e de contas como de luz e de água.

Quem atrasa o pagamento do condomínio tem até 30 dias (prazo bancário) para quitar a dívida, com juros entre 1% e 2%, em média, e pode ter o imóvel penhorado.

 

Quais obras no apartamento são permitidas?

Obras e até pequenas reformas em apartamentos precisam de um alvará (Anotação de Responsabilidade Técnica – ART) antes de serem realizadas, obedecendo à norma NBR 16.280 (da ABNT). Segundo o Código Civil, nenhum condômino pode realizar obras que ponham em risco ou comprometam a edificação. Cabe ao síndico fiscalizar as obras e as documentações.

A maioria dos condomínios apresenta itens em suas convenções e regulamentos internos que proíbem quaisquer intervenções que possam modificar a fachada do edifício, por exemplo, pintura de sacada ou troca de spots e lâmpadas.

Novamente, ressaltamos que em um condomínio, assim como em qualquer tipo de convívio, é importante manter o bom senso e a educação, para resolver possíveis problemas amigavelmente, sempre que possível.

direitos e deveres dos condôminos

 

VÍDEO: Conheça de perto o Residencial Villa de Areias

O Residencial Villa de Areias já está com a primeira torre concluída e tem como um dos diferenciais a independência de cada um dos prédios. Cada torre conta com seu próprio espaço de garagem, hall de entrada, portaria, ludoteca, salão de festas e academia. Mas para entender melhor a qualidade desse empreendimento e como ele é uma boa oportunidade para você morar ou investir acompanhe o corretor João Pauli em uma visita pelo Villa de Areias. Para mais informações entre contato ou marque um café com nossos corretores.

Conheça os direitos e deveres dos condôminos

Como em toda relação social, viver em um condomínio pressupõe ponderação, respeito ao próximo e obediência a determinadas regras, sejam elas formais ou senso comum. Algumas dessas regras são tão importantes, que estão presentes em artigos que ditam sobre os direitos e deveres dos condôminos no Código Civil Brasileiro. Outras, não menos necessárias, constam do regimento interno ou da convenção de cada condomínio – estas podem ser debatidas em reuniões e alteradas se for preciso e se houver consenso.

direitos e deveres dos condôminos

Vale salientar que locatários e suas famílias, na condição de “substituto do condômino”, têm os mesmos direitos e deveres dos demais condôminos, no entanto, a lei não dispõe sobre a obrigatoriedade de participar de assembleias nem do seu direito a voto.

O Código Civil – Condomínios também delibera sobre outras questões, como as atribuições dos síndicos, da administradora do condomínio, da gestão e uso das áreas etc., assuntos que trataremos em outras ocasiões, aqui no Blog da OK Construções.

[Não perca nossas novidades em construção e decoração, assine a News Decora OK Construções!]

Além do Código Civil, cada condomínio deve ter uma convenção e um regimento interno, que são documentos distintos, mas que devem apresentar pontos e regras convergentes no que diz respeito às regras que devem ser seguidas por moradores, funcionários, prestadores de serviço e administradora.

A convenção de um condomínio tem valor legal, é um documento público, registrado no Cartório de Imóveis e que faz parte da documentação jurídica do imóvel.

Já o regimento interno prevê as regras de conduta para regulamentar a convivência, principalmente quanto ao uso de áreas comuns, e possíveis penalidades em caso de infração. Esse documento deve ser elaborado e aprovado em assembleias, por mais de 2/3 dos proprietários.

 

DÚVIDAS COMUNS SOBRE DIREITOS E DEVERES DOS CONDÔMINOS

Neste texto, nossa intenção é sanar algumas dúvidas bastante comuns em relação aos direitos e deveres dos condôminos.

direitos e deveres dos condôminos

 

Lei do silêncio, como funciona?

Talvez o maior motivo de discussões e desentendimento entre vizinhos seja o barulho. Na verdade, não existe uma lei federal chamada “Lei do Silêncio”, mas algumas cidades possuem leis municipais para tratar do assunto e, certamente, em todos os regimentos internos de condomínios há um artigo prevendo pena para quem ultrapassa o limite com barulhos e ruídos altos.

O ideal é que seja feito sempre um primeiro pedido amigável, para que o infrator pare de fazer barulho. Em casos de festas com música alta, pode-se chamar a Polícia Militar, conforme prevê o art. 54 da Lei 9.605/98, que trata de ruídos que possam causar danos à saúde (acima de 70 decibéis). Caso o barulho não seja tão alto, mas mesmo assim perturbar o sossego coletivo, o infrator pode ser enquadrado no art. 42 da Lei de Contravenções Penais, configurando na Contravenção Penal de Perturbação do Sossego.

Se o barulho perturbador for produzido por atividades cotidianas (como passos, eletrodomésticos, secador de cabelo etc.), procure conversar com seu vizinho ou peça intermediação do síndico para resolver o problema da maneira mais amigável possível.

 

Posso ter animais de estimação dentro do apartamento?

Provavelmente, você conhece alguém que já precisou doar um animal de estimação porque “era proibido ter animais no condomínio”. Entretanto, a legislação brasileira permite que se tenha animal de estimação (ou mais de um) em apartamentos, de espécies, tamanhos e quantidade desejada, desde que se dê tratamento adequado aos bichos e que eles não perturbem o sossego dos demais moradores.

Mesmo que a convenção do condomínio disponha o contrário, vale ressaltar que nenhum documento interno pode anular os direitos individuais previstos na Constituição.

O condomínio pode, sim, reger a presença de animais em áreas comuns. Normalmente, sua circulação é permitida somente no colo ou em caixas de transporte e pelas escadas ou elevadores de serviço.

 

Em condomínios com piscina, qual a regra para trajes de banho?

Nesse ponto, também não há legislação a respeito e, novamente, cabe o bom senso e a atenção ao regimento interno. A maioria dos condomínios permite a circulação em trajes de banho (ou de homens sem camisa) somente nas áreas abertas. Para evitar possíveis constrangimentos, é indicado que se evite andar em trajes de banhos ou sem camisa dentro dos prédios, e, se necessário, utilizar escadas ou elevadores de serviço.

 

Visitantes podem frequentar áreas comuns?

De acordo com o regimento interno, o condomínio pode ou não liberar o acesso de visitantes às áreas comuns.

Salão de festas ou espaço gourmet deve ter sua lotação máxima respeitada, assim como deve ser respeitado o horário de silêncio e os lugares onde que é proibido fumar.

Quadras, parques e brinquedotecas costumam ter acesso controlado: um determinado número de convidados por apartamento. Já em piscinas, até por questões de higiene e saúde, o acesso de visitantes tende a ser restrito.

Alguns condomínios ainda distinguem visitantes de hóspedes. Para evitar atritos, é importante conhecer as regras do lugar onde você mora.

Conhecer seus direitos e seus deveres como condômino é fundamental para viver em harmonia, do mesmo modo, prezar pelo bom senso e pelo diálogo antes de tomar qualquer atitude mais severa reduz o estresse e traz qualidade de vida a todos os moradores.

direitos e deveres dos condôminos

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...